»»» LEITURA OBRIGATÓRIA

PUBLICIDADE

Pesquisar matérias no Blog

GALERIA DE VÍDEOS DO BLOG:

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

CRÔNICAS DE RONDÔNIA – Os verdadeiros Guerreiros de Cristo sabem que crimes perfeitos não existem

Rondônia assiste estarrecida o cortejo de operações policiais nos últimos 3 meses que nem se dá tempo de decorar cada uma, se fossemos olhar pelo lado didático, estariamos de fato recebendo um verdadeiro doutorado em história greco romana, o que seria ótimo, já que a falta ou preguiça em se adquirir cultura e educação adequada con certeza é um dos grandes fatores que contribui com a formação deformada de caráter criminosos, sempre ávidos a debandar para o mundo obscuro da corrupção.

Em um desses casos recentes, e este eu posso falar com propriedade, pois vivi na pele a formação deste jovem, é o caso do jovem Rodrigo “Guerreiro” Mota de Jesus, pois bem, aspirante a empresário bem sucedido e assessor emérito dos principais cabeças envolvidos em todo sistema montado para desviar e fraudar os cofres público de Rondônia, Rodrigo na verdade não passa de um sub-produto do meio em que foi criado, sempre anelando merecer as amizades e as beneces dos poderosos de sua cidade.

Desde cedo, digo isso por que o conheço de 10 anos pra cá, ainda menino, transitava pelas ruas da cidade tentando chamar a atenção daquele que um dia o iria envolver na pior tragédia moral que uma pessoa possa deseja em vida, o de ter seu nome e o nome de sua família atirado na lama da proscrição, fazia de tudo para agradar e atrair olhares dos “donos” de Ouro Preto do Oeste, que para si eram a maior expressão da dignidade humana, leso engano.

O fortalecimento da união entre Alex Testoni e Rodrigo Guerreiro se deu justamente na época em que cheguei ao município de Ouro Preto, nos idos de 2005, muita coisa acontecia naquela época, Cassol era governador e estava em pé de guerra com a Assembleia, e Testoni, pretenso candidatos a uma cadeira de deputado estadual, aliado incondicional de Cassol na época precisava formar uma equipe de agentes que pudesse confiar e ao mesmo tempo manipular incessantemente, e essa foi a chance que Rodrigo teria pedido à Deus.

Mesmo contrariando os próprios pais, obreiros dedicados da igreja Assembleia de Deus, onde fora criado, Rodrigo ingressou nas fileiras testonicas como se fosse um plano de carreira para toda vida.

Sabia com certeza que seus ídolos humanos não eram perfeitos, mas, queria aprender de toda forma com o grande Capo da cidade  e mandatário econômico como caminhar entre as malhas do poder e principalmente como superar e vencer as investidas dos piores inimigos, ainda que fosse do judiciário, pois via sequentes vitórias de seu líder perante toda cidade, o que lhe auferia uma áurea de incondenável, ou mestre das impunidades se assim preferir.

Pois bem, de lá prá cá, hoje esse jovem que poderia ter escolhido os maais brilhante dos caminhos está onde está por pura ilusão de ser seguidor dos piores tipos de pessoas que possam existir na sociedades, mas, é muito jovem ainda e pode sim ver superado, talvez até bem longe daqui, todos esses traumas e pesadelos que hoje colhe.

Porém, já que está onde está, seria a hora deste rapaz fazer de fato algo grande em sua vida e dessa vez, com isso, corrigir grande parte dos estragos causados à milhares de cidadãos do Estado em que nasceu.

Com a Delação Premiada em suas mãos, pode mostrar a todos que na verdade esta lição serviu pra mostrar finalmente a si mesmo que não existem crimes perfeitos, e portanto, não pretende contiunar na carreira e muito menos poupar ou continuar a esconder da sociedade os nomes, os valores, as práticas e principalmente, o que todos esperam ver, é os grandes Barões da corrupção no Estado respondendo e reparando com penas capitais pelas desgraças atraída a toda população.

Fazendo isso, Rodrigo retomaria seu posto de mero instrumento na teia montada para induzí-lo as piores aptidões praticadas, seria com certeza motivo de grande orgulho pra seu abnegado Pai e Mãe, ao vê-lo entregar todos aqueles que o colocaram em tamanho opróbrio e por fim teria que ser  notadamente reconhecido respeitado por toda sociedade por sua coragem e grandeza de enfrentar sozinho todos aqueles que nós já sabemos que merecem estar muito mais do que ele aonde está hoje.

A Hora da Verdade chegou, se é que um dia ele realmente considerou ser um Guerreiro de Cristo, esta é a hora de mostrar a todos os seus verdadeiros Amigos que um dia  conheceu, na cidade onde nasceu e no Estado que declarou Amor por sua própria natureza. Confie em Deus e faça o que precisa ser feito.

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Prazo para remoção de mensagens ofensivas nas redes sociais

A Terceira Turma do STJ finalmente definiu o prazo considerado razoável para que os provedores de páginas da internet retirem do ar os conteúdos abusivos denunciados pelos usuários, qual seja, 24 (vinte e quatro) horas.

No caso, a Google levou mais de dois meses para retirar do ar o conteúdo denunciado como abusivo pela autora da ação, reconhecendo que esse ínterim afigura-se despido de razoabilidade.

Asseverou-se, ainda, que não cabe ao provedor analisar o mérito da denúncia feita pelo usuário, tendo tal prazo natureza acautelatória, sendo que, caso seja desobedecido, poderá o provedor ser responsabilizado solidariamente, por omissão, junto com o autor da ofensa.

Veja-se:

REDES SOCIAIS. MENSAGEM OFENSIVA. REMOÇÃO. PRAZO

A Turma entendeu que, uma vez notificado de que determinado texto ou imagem possui conteúdo ilícito, o provedor deve retirar o material do ar no prazo de 24 horas, sob pena de responder solidariamente com o autor direto do dano, pela omissão praticada. Consignou-se que, nesse prazo (de 24 horas), o provedor não está obrigado a analisar o teor da denúncia recebida, devendo apenas promover a suspensão preventiva das respectivas páginas, até que tenha tempo hábil para apreciar a veracidade das alegações, de modo que, confirmando-as, exclua definitivamente o perfil ou, tendo-as por infundadas, restabeleça o seu livre acesso.

Entretanto, ressaltou-se que o diferimento da análise do teor das denúncias não significa que o provedor poderá postergá-la por tempo indeterminado, deixando sem satisfação o usuário cujo perfil venha a ser provisoriamente suspenso. Assim, frisou-se que cabe ao provedor, o mais breve possível, dar uma solução final para o caso, confirmando a remoção definitiva da página de conteúdo ofensivo ou, ausente indício de ilegalidade, recolocá-la no ar, adotando, na última hipótese, as providências legais cabíveis contra os que abusarem da prerrogativa de denunciar.

Por fim, salientou-se que, tendo em vista a velocidade com que as informações circulam no meio virtual, é indispensável que sejam adotadas, célere e enfaticamente, medidas tendentes a coibir a divulgação de conteúdos depreciativos e aviltantes, de sorte a reduzir potencialmente a disseminação do insulto, a fim de minimizar os nefastos efeitos inerentes a dados dessa natureza. REsp 1.323.754-RJ, Rel. Min. Nancy Andrighi, julgado em 19/6/2012.

Comentários:

O primeiro ponto relevante a ser destacado nesse julgado refere-se à indefinição do prazo considerado razoável para que os provedores retirem do ar os conteúdos considerados abusivos, impróprios etc., por quem os denunciar. A relatora do processo, Ministra Nancy Andrighi, consignou no acórdão que, antes dessa decisão, ambos os colegiados de Direito Privado do STJ (3ª e 4ª Turmas) já reconheciam a necessidade de bloqueio desse tipo de informação, porém, não chegaram a definir qual seria esse prazo. A esse respeito, confira-se: REsp. 1.186.616/MG, 3ª Turma, Rel. Min. Nancy Andrighi, DJe de 31.08.2011 e REsp 1.175.675/RS, 4ª Turma, Rel. Min. Luis Felipe Salomão, DJe de 20.09.2011.

Com relação ao último julgado, acima noticiado, na origem a decisão monocrática havia considerado como razoável o prazo de 48 (quarenta e oito horas) para que a Google retirasse do ar toda e qualquer manifestação difamatória à pessoa do autor da ação, mas, sobrevindo o recurso especial, a 4ª Turma, como dito, nada sedimentou acerca do prazo para que tal providência fosse tomada pelo provedor, o que só veio a ocorrer no processo que deu origem ao acórdão em estudo.

O segundo ponto que merece destaque reside exatamente na polêmica envolvendo a medida drástica de remoção do conteúdo denunciado. Mal a decisão veio ao conhecimento público, vozes já se levantaram acusando-a de ofensiva à liberdade de expressão, consagrada no Texto Maior (art. 5º, IV). Comentando o "decisum", o advogado Guilherme Damásio Goulart, em artigo publicado na revista Consultor Jurídico assim se manifestou:

“Não se discute o fato de que a decisão procura equacionar e compatibilizar, basicamente, dois interesses: por um lado a liberdade de expressão e, por outro, a proteção daqueles que forem lesados por meio de conteúdos ofensivos.

No entanto, não pode ser afastado o fato de que a definição da ilicitude de um material publicado na internet deve passar obrigatoriamente pelo crivo do Judiciário.

No afã de proteger os interesses dos ofendidos na internet, a decisão estabelece a desnecessidade de recorrer ao Judiciário, dando aos provedores o poder de "julgar" o que venha a ser um "conteúdo desabonador". O raciocínio é perigoso e, se aplicado a outras situações, pode gerar situações bastante perigosas para a própria liberdade de expressão” (http://www.conjur.com.br/2012-jun-26/definir-prazo-retirada-conteudo-internet-precedente-perigoso).

Opinião semelhante foi exarada pelo também advogado Gustavo Rocha, que assim pontuou:

“Ou seja, mesmo diante de nenhum pedido oficial, nenhuma ação, nenhum tipo de crivo, basta alguém clicar em denuncio e isto será tirado do ar?

Então, se eu escrevo dizendo que gosto mais do Iphone do que de um Samsung, um usuário do Samsung, não concordante da minha opinião, clicará em denuncio o conteúdo e o facebook (por exemplo) terá que tirar do ar o meu artigo/tese/opinião…

Arriscado. Como bem delimitou o colega Kaminski, em ano eleitoral isto será uma balbúrdia. Será uma enxurrada de pedidos de denuncio dentro das redes sociais e cada vez que não atendidos, demandas e mais demandas judiciais, com base num paradigma decidido na semana passada.

E a minha liberdade (já amplamente vigiada pela Constituição e leis civis) onde anda?

Ainda prefiro uma decisão judicial a ser obedecida do que uma ideia de padronizar algo que não é igual, ou seja, um exemplo típico de injustiça (ser desigual aos iguais).

Tomara que seja uma decisão isolada (senão este artigo será censurado com denuncio em redes sociais)…” (http://gestao.adv.br/index.php/redes-sociais-ofensas-24-horaseo-judiciario/)

Apesar das respeitáveis opiniões, é de se concordar com a decisão proferida pela Terceira Turma do STJ.

Em primeiro lugar, entendemos que não se trata de “julgamento” à margem do Poder Judiciário, como colocado por Guilherme Damásio Goulart, pois o STJ demarcou apropriadamente a questão, ao consignar, expressamente, que a medida possui caráter preventivo, fundamentando o entendimento pretoriano na técnica de ponderação de princípios, como bem destacado pela ministra relatora em seu voto condutor, com destaque para o seguinte trecho:

“Embora esse procedimento possa eventualmente violar direitos daqueles usuários cujas páginas venham a ser indevidamente suprimidas, ainda que em caráter temporário, essa violação deve ser confrontada com os danos advindos da divulgação de informações injuriosas, sendo certo que, sopesados os prejuízos envolvidos, o fiel da balança pende indiscutivelmente para o lado da proteção da dignidade e da honra dos que navegam na rede”.

Assim, no caso concreto, é de se concordar inteiramente com o afastamento momentâneo do princípio que garante o direito fundamental à liberdade de expressão, fazendo com que sobre ele prevaleça o superprincípio da dignidade humana, de modo a proteger os direitos da personalidade de outrem.

Ademais, a nosso aviso, a retirada do ar de conteúdo supostamente ilícito pelo prazo exíguo de 24 horas não pode caracterizar ofensa substancial à liberdade de expressão quando, de outro lado, estiver em evidência potencial ofensa à honra, liberdade, intimidade, privacidade etc.

Em outras palavras, para quem ventila o conteúdo supostamente ilícito (ao menos em tese), não conseguimos visualizar nenhum prejuízo substancial. Mas, o contrário não pode ser dito para quem esteja exposto à possível ofensa, pois em razão da velocidade com que os conteúdos circulam na grande rede, algo depreciativo adquire proporções bem maiores e consequências mais graves, conforme considerado pelo colegiado julgador.

Em segundo lugar, acaso alguém se lance a denunciar conteúdos alheios, sabedores de que não contém qualquer ilicitude, abusividade, impropriedade etc., como ventilado por Gustavo Rocha, certamente incorrerá em abuso de direito, caracterizado como ato ilícito, consoante disposto no art. 187 do Código Civil:

Art. 187. Também comete ato ilícito o titular de um direito que, ao exercê-lo, excede manifestamente os limites impostos pelo seu fim econômico ou social, pela boa-fé ou pelos bons costumes.

Não foi outra a conclusão da Turma julgadora, que assim se pronunciou sobre esse ponto específico:

“Ademais, o diferimento da análise do teor das denúncias não significa que o provedor poderá postergá-la por tempo indeterminado, deixando sem satisfação o usuário cujo perfil venha a ser provisoriamente suspenso. Cabe ao provedor, o mais breve possível, dar uma solução final para o caso, confirmando a remoção definitiva da página de conteúdo ofensivo ou, ausente indício de ilegalidade, recolocando-a no ar, adotando, nessa última hipótese, as providências legais cabíveis contra os que abusarem da prerrogativa de denunciar.”

Sendo assim, se alguém, agindo abusivamente, denunciar um conteúdo que saiba não ser ilícito, fazendo-o por puro capricho ou com o objetivo de provocar, lesar, se vingar; enfim, visando prejudicar outrem, estará agindo de má-fé, e consequentemente de forma ilícita, o que autoriza a parte lesada a reclamar a respectiva indenização caso sofra um dano em decorrência da conduta daquele que denuncia abusivamente.

No que toca especificamente ao caso em comento, outro importante fato merece atenção, e se relaciona com o argumento no sentido da alegada inviabilidade técnica de se proceder ao controle de conteúdos na internet. Consta do acórdão que:

“No que tange à viabilidade técnica de se proceder à exclusão em tempo tão exíguo, consta da sentença que a própria GOOGLE informa aos usuários que, feita a reclamação por intermédio da ferramenta ‘denúncia de abusos’ e concluindo-se que ‘o conteúdo denunciado viola as leis vigentes no mundo real ou infringe as políticas do Orkut, poderemos removê-lo imediatamente e reportar as informações às autoridades competentes”.

Esse detalhe é de suma importância, pois somente vem a corroborar a responsabilidade expressamente assumida pelo provedor, no sentido de dispor de ferramentas eficientes ao controle de conteúdo.

Sendo assim, se o provedor cria suas próprias regras, segundo as quais assume o dever de remover conteúdos abusivos, não pode, em momento posterior alegar que não dispõe de meios para cumpri-las. Omitindo-se, deve responder solidariamente pelos danos eventualmente causados ao ofendido pelo conteúdo não removido.

Finalmente, a nosso juízo, a decisão da 3ª Turma do STJ, apesar das críticas que recebe, merece aplausos, pois mostra-se perfeitamente fiel e harmônica com os princípios supremos que norteiam nosso ordenamento jurídico, na medida em que se preocupa exatamente em delimitar um lapso temporal para que nenhum dos direitos fundamentais envolvidos (dignidade humana e liberdade de expressão) restem prejudicados.

Vitor Guglinski

Vitor Guglinski

Advogado. Colaborador do site JusBrasil/Atualidades do Direito.

Advogado. Pós-graduado com especialização em Direito do Consumidor. Membro correspondente do Instituto Brasileiro de Política e Direito do Consumidor (BRASILCON). Ex-assessor jurídico da 2ª Vara Cível de Juiz de Fora (MG). Autor colaborador dos principais periódicos jurídicos especializados do país.

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

BRASIL: DILMA E LULA SABIAM E SABEM DE TUDO!

Crime de responsabilidade

O Estado de S.Paulo - 16 Novembro 2014 | 02h 03

Quando começou a vir à luz o conteúdo das investigações da Operação Lava Jato, lançada pela Polícia Federal (PF) em março deste ano para apurar a corrupção dentro da Petrobrás, houve quem previsse que a dimensão dessa encrenca poderia comprometer a realização das eleições presidenciais. Esse vaticínio catastrófico era obviamente exagerado. Mas os acontecimentos dos últimos dias revelam que esse escândalo sem precedentes não apenas compromete indelevelmente a imagem da maior empresa brasileira e da cúpula do partido que controla o governo federal há 12 anos - inclusive o ex-presidente Lula e a presidente reeleita Dilma Rousseff, como mostramos em editorial de sexta-feira -, mas pode ser só a ponta de um gigantesco iceberg.

Para ficar apenas nos acontecimentos mais importantes dessa semana: a empresa holandesa SBM Offshore, fornecedora da Petrobrás, fez um acordo com o Ministério Público de seu país pelo qual pagará US$ 240 milhões em multas e ressarcimentos para evitar processo judicial por ter feito "pagamentos indevidos" para obter contratos no Brasil e em outros dois países. No Brasil, a CGU iniciou investigações sobre as suspeitas de que cerca de 20 funcionários da Petrobrás teriam aceitado suborno da empresa holandesa.

Na quinta-feira, a auditoria PricewaterhouseCoopers anunciou que não vai assinar o balanço contábil do terceiro trimestre da Petrobrás - cuja divulgação foi por essa razão adiada - enquanto não conhecer as conclusões das investigações internas da empresa sobre o escândalo, por temer o impacto do desvio de recursos sobre os ativos da petroleira. Trata-se de uma precaução raramente adotada por firmas de auditoria - o que demonstra a gravidade da situação da Petrobrás.

Na sexta-feira, a Operação Lava Jato iniciou nova fase, colocando 300 policiais em ação em cinco Estados - São Paulo, Paraná, Rio de Janeiro, Pernambuco e Minas Gerais - mais o Distrito Federal, para cumprir 85 mandados de prisão ou de busca contra executivos de empreiteiras e outros investigados por crimes de organização criminosa, formação de cartel, corrupção, fraude à Lei de Licitações e lavagem de dinheiro. Para começar, prenderam no Rio de Janeiro o ex-diretor de Serviços da Petrobrás Renato Duque, indicado para o cargo por José Dirceu.

Enquanto isso, chega a cerca de uma dezena o número de investigados da Lava Jato que reivindicam o benefício da delação premiada, numa demonstração de que quem tem o rabo preso no escândalo já percebeu que a casa caiu e a melhor opção é entregar os anéis para salvar os dedos, como já fizeram o ex-diretor Paulo Roberto Costa e o doleiro Alberto Youssef.

Diante das surpreendentes proporções do esquema de corrupção armado dentro da maior estatal brasileira com o objetivo de carrear recursos para o PT e seus aliados, não surpreende que os dois presidentes da República no poder durante o período em que toda essa lambança foi praticada soubessem perfeitamente o que estava ocorrendo. Em 2010 - Lula presidente e Dilma chefe da Casa Civil -, o Palácio do Planalto, por meio de veto aos dispositivos da lei orçamentária que bloqueavam os recursos, liberou mais de R$ 13 bilhões para o pagamento de quatro contratos de obras da Petrobrás, inclusive R$ 6,1 bilhões para a Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. O TCU havia chegado à conclusão de que esses custos estavam superfaturados, mas Lula e Dilma entenderam que era preferível tocar as obras. Só essa decisão comprova a responsabilidade desses políticos por um escândalo que deixa o Caso Collor no chinelo.

De fato, está registrada no Diário Oficial da União a prova documental da conivência de dois presidentes da República com a corrupção na Petrobrás. É um escândalo de dimensões mastodônticas que envolve todas as diretorias operacionais da estatal, dezenas de executivos de empreiteiras e outro tanto de políticos de praticamente todos os partidos mais importantes da base governista no desvio de recursos estimados em pelo menos uma dezena de bilhões de reais.

Somente alguém extremamente ingênuo, coisa que Lula definitivamente não é, poderia ignorar de boa-fé o que se passava sob suas barbas. Já Dilma Rousseff de tudo participou, como ministra de Minas e Energia e da Casa Civil e, depois, como presidente da República.

Devem, todos os envolvidos no escândalo, pagar pelo que fizeram - ou não fizeram.

domingo, 16 de novembro de 2014

AÉCIO NEVES E A ELEIÇÃO QUE NÃO TERMINOU

O senador Aécio Neves, ainda que tenha perdido a eleição para a Smartmatic-Foro de São Paulo, continua sendo tratado pela maioria dos brasileiros como vitorioso!

- Isto é uma pegadinha? – espantou-se a mulher ao olhar para o homem sentado na cadeira do corredor da terceira fila do voo 1488 da GOL, que decolaria ontem, no meio da tarde, do aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, com destino a Brasília.

- Pegadinha, como? – perguntou o homem, sorrindo.

- O senhor é a cara de Aécio – observou a mulher.

- Eu sou Aécio – o homem respondeu.

Instalou-se então a confusão, que acabou por atrasar a decolagem. Bem mais da metade dos passageiros que quase lotavam o avião fez questão de cumprimentar o senador Aécio Neves (PSDB-MG) e de tirar fotos junto com ele.

Outra mulher comentou depois de abraçar Aécio:

- Você está por aqui? Não acredito.

Um homem idoso apertou a mão de Aécio e disse:

- Aécio, é você? Chorei muito quando você perdeu a eleição.

Entre uma foto e outra com o senador, uma jovem tascou:

- Nossa, você é muito bonito. É mais bonito do que na televisão.

A tripulação teve trabalho para conseguir que as pessoas ocupassem seus assentos. Antes que o avião decolasse, por três vezes, e a curtos intervalos, passageiros gritaram o nome de Aécio provocando aplausos.

Na descida do avião em Brasília, o comandante falou aos passageiros por meio do sistema de som:

- A GOL sente-se honrada em transportar o senador Aécio Neves, futuro presidente do Brasil.

Novamente Aécio foi aplaudido. E por último foi aplaudido ao se levantar para desembarcar, olhar para os fundos do avião e dizer:

- Obrigado pelo carinho, pessoal.

This work is licensed under a Creative Commons license.

COLUNA ESPLANADA | TSE avalia de criação de 21 partidos, entre eles Pirata e Imperial

Enquanto o Congresso Nacional discute a cláusula de barreira e fim das coligações proporcionais nas eleições, a fim de reduzir o número de partidos no Brasil, o Tribunal Superior Eleitoral contabiliza neste momento pedidos de criação de mais 21 legendas.

Entre elas, a Ação Libertadora Nacional, o Partido Pirata do Brasil, Partido da Construção Imperial, Libertários, dos Servidores Públicos e Trabalhadores da Iniciativa Privada e o Partido da Organização da Vanguarda Operacional (POVO). E uma nova ARENA.

As novas legendas têm as devidas assinaturas recolhidas, por determinação do tribunal, e o registro em cartório de Estados.

Segue em análise já a conhecida REDE, de Marina Silva, que retomou a coleta nacional de assinaturas complementares para se validar. E o Partido Liberal Brasileiro, um novo PL.

A lista completa dos protocolados no TSE:

Ação Libertadora Nacional (ALN)
Aliança Renovadora Nacional (ARENA)
Libertários (LIBER)
Partido Cristão (PC)
Partido da Construção Imperial (PCI)
Partido da Defesa Social (PDS)
Partido da Mulher Brasileira (PMB)
Partido Novo (NOVO)
Partido da Real Democracia (PRD)
Partido de Representação da Vontade Popular (PRVP)
Partido dos Servidores Públicos e dos Trabalhadores da Iniciativa Privada do Brasil (PSPB)
Partido Federalista (FE)
Partido Liberal Brasileiro (PLB)
Partido Militar Brasileiro (PMB)
Partido Ordem e Progresso (POP)
Partido Pirata do Brasil (PIRATAS)
Partido Popular de Liberdade de Expressão Afro-Brasileira (PPLE)
Partido da Organização da Vanguarda Operacional (POVO)
Real Democracia Parlamentar (RDP)
Rede Sustentabilidade (REDE)
PARTIDO DA ORDEM, DA DEMOCRACIA E DA ÉTICA (PODE)

This work is licensed under a Creative Commons license.

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Amigos | Aniversariantes do Mês

Hoje quem apaga velinhas é o meu estimado amigo Valentim Agnaldo da Projet Soluções, rapaz determinado que com sua família maravilhosa e sua esposa Vitória, promove e ajuda a construir uma cidade melhor para todos nós.

 

 

 

Outro que coisncidentemente comemora seus longos fios de cabelos brancos é o também amigo Pedro Muller, profissional da construção civil, batalhador, empreendedor e grande figura.

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

COLUNA ESPLANADA | Lula e Aécio com amizade abalada pela campanha

O sangue nos olhos durante a campanha dos dois lados fez a primeira grande baixa pós-eleição, embora muito discreta: O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o senador Aécio Neves (PSDB-MG), derrotado na eleição presidencial, romperam uma amizade de 29 anos.

Eles se conheceram num papo em torno de uma fogueira na agora famigerada fazenda de Cláudio (MG) – a mesma vizinha ao polêmico aeroporto asfaltado pelo governo do tucano -, quando Lula foi recebido em jantar por Tancredo Neves.

A amigos, ambos justificam a ruptura com a surpresa com os ataques dos dois lados. Lula e Aécio tinham uma excelente relação extra-política até antes da campanha.

Ao voltar ao Congresso ontem, Aécio disse que seu alvo é a presidente Dilma. Nenhum pio sobre Lula, indícios de que apesar de tudo haverá respeito.

É O PODER

Até o 1º turno desta eleição, Lula e Aécio se aceitavam nas críticas mútuas, faz parte do jogo. Mas a situação desandou no 2º turno quando envolveu a real disputa pelo Poder.

PLAYBOY & APEQUENADO

Aécio ficou magoado com ataques de Lula em palanques pelo País. O petista o chamou de ‘Filhinho de Papai’ e ‘playboy’. O tucano rebateu: disse que Lula ‘se apequenou’.

QUASE ALIADOS

A sintonia de Lula e Aécio era tamanha que, em 2005, no auge do escândalo do mensalão, o petista pensou em lançar Aécio à sua sucessão, se ele se filiasse ao PMDB

terça-feira, 21 de outubro de 2014

COLUNA ESPLANADA | MP de olho na generosidade do governo com países amigos

A situação da presidente Dilma se complica nas relações binacionais econômicas.

O MP Federal está de olho na generosidade da administração do PT com países amigos como Bolívia, Cuba e Venezuela.

A operação do Porto de Mariel, perto de Havana, financiado com dinheiro do BNDES, está sendo leiloada pelos irmãos Castro com EUA e Rússia.

Enquanto ministro do Desenvolvimento e Indústria, Fernando Pimentel, eleito governador de Minas, doou R$239 milhões para o regime cubano com contrato secreto. Nada visto antes.

E a Bolívia acaba de receber, em setembro, meio bilhão de dólares da Petrobras, num adicional não previsto – para pagamento de gás retroativo – num trato de aliados. O episódio causou abertura de investigação no MPF.

O programa Mais Médicos, em parceria com Cuba, é outro mistério. A Saúde repassa cerca de R$ 10 mil a Cuba por profissional. O médico recebe menos que R$ 3 mil.

This work is licensed under a Creative Commons license.

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Com o dono preso, mercedez de Luiz Estevão apodrece no Detran do DF

Coluna Esplanada

O ex-senador bilionário Luiz Estêvão vive um novo inferno astral. Enquanto continua encarcerado numa cela de presídio desde 27 de setembro, pelo crime de superfaturamento da famigerada sede do TRT de SP, sua Mercedes SLK novinha apodrece debaixo de sol e chuva num depósito do Detran em Brasília.

Estêvão perdeu o carro0002050029449_img numa blitz dias antes de ser preso, quando os agentes constataram que deve cerca de R$ 13 mil em multas. À ocasião, Estêvão tentou intimidar os fiscais dizendo ser ‘um homem público’. E piorou sua situação.

A apreensão ocorreu numa via do Lago Sul em Brasília. Logo que viu o carro no guincho, o ex-senador fez ligações para poderosos amigos no governo do DF. Em vão.

FORA DO CAMPO

Só uma notícia consolou o ex-senador nesta semana. O time que criou, o Brasiliense, joga no domingo contra o Brasil-RS e uma vitória por 1 a 0 pode levar os brasilienses à Série C do Brasileirão.

Estêvão não é apenas o fundador do clube como o cartola – participa de reuniões, invade campo para brigar com juízes, manda ‘banana’ para torcedores revoltados e até escala jogadores.

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

DIRETOR GERAL DA GLOBO RONDÔNIA CONTRATA IBOPE PARA ÚLTIMA PESQUISA E ALMOÇA COM PARTIDÁRIOS DE CONFÚCIO QUE APARECE NA LIDERANÇA DA PESQUISA

Uma foto no mínimo polêmica, tirada em um conhecido restaurante popular de Porto Velho, durante os últimos dias de campanha chama a atenção pela presença marcante do diretor geral da Globo Rondônia, Antônio Luís Campanari, almoçando amistosamente com várias pessoas uniformizadas com a camiseta de campanha do candidato pemedebista Confúcio Moura, que hoje (03/10/14), despontou na pesquisa do IBOPE, COM 45% das intenções de voto, causando estranheza até aos mais fieis aliados.

10715678_718421884906776_2034589596_n

Tal proeza não seria tão contraditória se, a esposa do diretor geral da Globo Rondônia, Helena Campanari, não fosse a Chefe do cerimonial do governo do Estado e seu esposo não abraçasse com tanta solidariedade a candidatura do atual governador a reeleição, ou seja, ninguém confia mais no IBOPE em Rondônia mesmo, há anos, mas ai também já é demais né???

This work is licensed under a Creative Commons license.

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Diretoria executiva da FIERO organiza jantar de empresários com a presença de candidatos preferidos




Regado com boa mesa, música ao vivo e bebidas à vontade,  parte da  diretoria executiva da Fiero fez questão de organizar um delicioso jantar fechado, à um grupo seleto de empresários da capital, ocorrido no restaurante O Compadre, às margens da BR 364, no Bairro Nova Floresta, na última sexta feira (26/09), em Porto Velho.
O jantar que reuniu boa parte do empresariado da capital, que a convite dos membros da diretoria da entidade compareceram em peso ao evento que serviu como forma a homenagear e prestigiar as candidaturas de Lindomar Garçon (PV), à deputado federal, Cláudio da Padaria (PC doB), à deputado Estadual e Moreira Mendes (PSD) ao senado, presentes ao evento.
Entre o grupo de empresários presentes, os três membros da diretoria executiva da Fiero, organizadores do eventos, sendo estes, Gilberto Baptista, superintendente da Fiero, Pompeu Marques, Secretário da entidade e Edson Costa, Tesoureiro da Fiero, aproveitaram a ocasião para sustentar o apoio incondicional aos candidatos presentes e manifestar suas propostas para a classe industrial do Estado.
A despeito do mal momento político que o Estado vem atravessando com a falta de bons administradores e legisladores de qualidade, na visão da Fiero, os candidatos indicados no jantar seriam uma boa opção ao eleitorado que ainda não definiu o seu voto, o  mais interessante é a iniciativa da entidade em promover tais nomes diante de um quadro tão amplo de nomes que também poderiam estar sendo apoiados pelos mesmos, como é o caso do candidato Maçon, Juscelino Amaral (PR), de Porto Velho que outrora no passado bem recente, detinha total apoio da mesma diretoria, além de outros membros candidatos, da própria diretoria, atuantes no interior do Estado, como é o caso dos candidatos Vilson da Martendal (PV) e Ivandro Benck (PP), nos municípios de Pimenta Bueno e Vilhena, que concorrem no mesmo pleito deste ano e eram tidos como os candidatos oficiais da categoria.
De uma forma ou de outra, é importante ressaltar a iniciativa destes diretores em nome da Fiero, em indicar opções políticas, diante de um cenário tão catastrófico que o nosso Estado atravessa, resta saber se estes nomes serão aprovados pelos empresários do setor e se estes confirmarão suas propostas ao pé da letra.

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

CRÔNICAS DE RONDÔNIA – 19/09 | INCERTEZAS E SURPRESAS PROVOCAM APREENSÃO E DECEPÇÃO A 15 DIAS DAS ELEIÇÕES.

ROBERTO NA BERLINDA, DE NOVO

Às vésperas das eleições 2014, a Câmara Municipal terá que votar pela reprovação ou não das contas do ex-prefeito, Roberto Sobrinho, na próxima segunda feira (23/09), às 09:00 hs, que foram sumariamente rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Estado – TCE, coisa que promete muito pano pra manga, pois em outro carnavais emplacou sem problemas  a sua vontade contra a opinião pública que apesar de pressionar os vereadores ficou a ver navios, como em Abril, quando o então ex-prefeito, por influências externas, conseguiu eleger seu aliado, o vereador Jurandir Bengala para a próxima presidência da Casa de Leis a partir do próximo ano, época em que o ex-prefeito previa que fossem então votadas tais reprovações do TCE.

Porém, o atual presidente, Alan Queiroz, convovcou a imprensa e fez questão de dizer que o parecer do TCe será votado na próxima semana mesmo. o que joga um iceberg de nas esperanças do ex-prefeito de não se ver complicado pela possibilidade de se tornar inelegível ainda neste pleito, surpresas  ou decepções importantes são o que nos reservam a próxima semana, bem como os últimos dias de campanha que estão minguando a medida que as horas passam.

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Incêndio destrói parcialmente o Supermercado Gonçalves de Ariquemes

Um incêndio na madrugada desta sexta-feira (12) destruiu parte do supermercado Gonçalves, na região central da cidade de Ariquemes- Rondônia. Segundo informações o fogo teve início aproximadamente as 2:00 Hs da madrugada e, tão logo populares avistaram a situação acionaram o Grupamento do corpo de bombeiros e a polícia militar que compareceram no local para dar início ao combate às chamas que tomava conta da seção de alimentos do Supermercado.

O comercio é um dos mais antigos de Ariquemes, além disso é um grande gerador de emprego na região.

Funcionários e populares nada puderam fazer em razão do perigo oferecido para quem estava próximo ao local que foi isolado pelos policiais. Fatos como este abala a cidade, pois ali muitas famílias ganhavam seu sustento através do  trabalho.

A causa do incêndio ainda não foi divulgada e os prejuízos ainda são incalculáveis. Este é o segundo incêndio de grandes proporção na cidade, em menos de dois meses um depósito de uma grande loja de móveis da região também ficou destruído em razão do sinistro. Foram utilizados várias viaturas da Policia Militar e do Corpo de Bombeiros para o combate ao fogo que tomava conta do recinto.

Até o fechamento desta edição todos os esforços estavam sendo somados para conter as chamas.

This work is licensed under a Creative Commons license.

sábado, 19 de julho de 2014

Radar falso interrompe mortes em rodovia

 

O radar fake no acostamento da rodovia: embora ilegal,
só assim as mortes pararam. Foto: Silvan Alves
Cansado de ver vizinhos atropelados – foram trágicas dez mortes (!) em apenas três meses – um cidadão de Retiro (RJ), uma vila atravessada pela BR 356 próximo a Itaperuna (RJ), decidiu agir por conta própria diante da incompetência do DNIT e DER.
O anônimo pagou do bolso a fabricação de uma placa de aviso de “controle de velocidade” a 50 km/h e um radar falso – um caixote vazio fixado numa haste de 3 metros. A instalação na margem da estrada, próximo ao cruzamento de entrada do vilarejo, deu resultado. Mas durou pouco tempo.
radar2uol
A placa de ‘fabricação caseira’ – imitação perfeita
FREIO DE MÃO
Há dois meses, a Polícia Rodoviária Federal descobriu o falso radar artesanal e o derrubou. Ninguém foi indiciado. Mas não houve mais mortes desde então!
BRASIIILLL
Embora ilegal, a atitude do herói anônimo é a prova de que o brasileiro é mesmo um cidadão criativo – nos bons e difíceis momentos ou situações.
COLUNA ESPLANADA.
This work is licensed under a Creative Commons license.

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Nomes pitoresco de candidatos à eleição de 2014 em Rondônia.

Vilhena, Rondônia - Em pesquisa pelo site da Justiça Eleitoral, a equipe de reportagem do Extra de Rondônia buscava por uma lista completa dos nomes dos candidatos da região.
Nome a nome foi se surpreendendo com os apelidos adotados por aqueles que tentam representar suas regiões.
Finalizada a parte séria do trabalho, os jornalistas que cobrem a editoria de “Política” dedicaram um tempo a mais para elencar os nomes mais engraçados que você pode encontrar nas urnas. Vale a pena conferir.
ACOMPANHE:
** ADELSO COBRADO DE ÔNIBUS – PT do B
** CHAPELZINHO – PRP
** ALEXANDRE ROUPA BRANCA – PC do B
** DR. AMADO – PP
** ANDERSON EXCELLER – PSD
** ANDRE FEST – PEN
** ANTENOR DA SITHATHI – PT do B
** ANTONIO PURUBORÁ – PP
** DJ KIKO MELO – PSDC
** ANTONIO CASAMENTEIRO – PSDB
** ARITHANA – PR
** CHICO LATA – PP
** DR CARLOS PASSARINHO – PSD
** CELEZIO DA SONIKA MUDANÇAS – PSDB
** CICERO CABEÇA BRANCA – PMN
** COCÓ – PSDC
** CÁSSIA DO JOÃO DA MULETA – PMDB
** DIM DIM – PSL
** EDNA DA KAARISMA MENSAGEM – PSDC
** BUDA’S – PV
** PAZ – PSDC
** CHICÃO PVH – PHS
** RICCASAN – PSB
** GATO FELIX – PMN
** GESSI DO BOM PREÇO – PSDC
** BOB MARLEY DE RONDÔNIA – PSB
** ISAQUE COWBOY – PC do B
** FELIX DE RONDÔNIA – PTN
** BAIXINHA – PC do B
** JOÃO DA MOTO– PC do B
** SALGADINHO – PTN
** ALBERTO BIGODE – PC do B
** ZE DO FACÃO – PC do B
** SÓ NA BENÇA – PMDB
** LAZINHO DA FETAGRO – PT
** LORO – PC do B
** DJ CARIOCA – DEM
** MARCOS TUPINIQUIM – PSOL
** MARQUINHOS DO CAVACO – PTC
** PAULO CADILACK – PRTB
** TOCO STICCERO – PTC
** GALEGO – PT do B
** PASSARINHO TOPOGRAFO – PTC
** NEGÃO DO VARAL – PSOL
** BAGUNÇA – PPS
Fonte: Extra de Rondônia

This work is licensed under a Creative Commons license.

20 anos depois | Farmácias terão a obrigação de atendimento e orientação à saúde e manter a permanência do farmacêutico durante todo o período em que a farmácia estiver aberta

Projeto de lei que regulamenta a assistência farmacêutica e obriga a presença de um profissional de nível superior em farmácia (farmacêutico) durante todo o horário de funcionamento das farmácias ou drogarias foi aprovado nesta quarta-feira (16) pelo Senado. A matéria tramitou por mais de 20 anos no Congresso, e agora seguirá para sanção da presidenta Dilma Rousseff.

Pela nova lei, as farmácias deverão prestar assistência integral à população, fornecendo as orientações necessárias aos consumidores de medicamentos. O projeto acaba com a diferenciação existente entre farmácia e drogaria e unifica todos os estabelecimentos como farmácias de atendimento e orientação à saúde.

Pelo texto, o cidadão poderá chegar à farmácia a qualquer momento e terá à disposição um profissional competente e responsável pelo medicamento vendido, capaz de esclarecer dúvidas. Além de determinar a permanência do farmacêutico durante todo o período em que a farmácia estiver aberta, o projeto especifica obrigações ao proprietário e ao farmacêutico.

O projeto permite que as farmácias vendam vacinas e os medicamentos para doenças mais comuns, e estabelece que os farmacêuticos deverão comunicar às autoridades sanitárias e laboratórios as reações adversas, dependência e intoxicações causadas pelos medicamentos.

This work is licensed under a Creative Commons license.

segunda-feira, 23 de junho de 2014

ACIR PAGA ÔNIBUS DA CONCORRÊNCIA PRA IR À JOGO DA COPA

 

Acir_Binho-e-JorgeQUANTA HUMILDADE | Em Brasília, paga-se R$ 1,00 pelo Circular que sai da rodoviária e chega ao Estádio Nacional. Os veículos são muito bem higienizados, a climatização impecável, têm suspensão a ar e poltronas acolchoadas, extremamente diferentes de Porto Velho.
Aposto que ali ninguém reconheceu o vice-presidente do Senado, tampouco o ex-governador do Acre, juntamente com o senador Acir Gurgacz de Rondônia.
Quero ver fazer um tour desse até Zona Sul ou Leste.
Sem atiçar os seguranças contra os cidadãos,Como é que a população pode reclamar de estadistas tão exemplares?.

This work is licensed under a Creative Commons license.

Queda consolidada de Dilma

 

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por AC Portinari Greggio

Caro Serrão, no seu último boletim, havia a seguinte observação:
“Numa pesquisa que ninguém com bom senso conseguiu entender o resultado, registrada no TSE com o cabalístico número 171, só ficou claro que Dilma Rousseff vem perdendo popularidade e a confiança da população. Atualmente, 50% desaprovariam sua forma de administrar. Só 31% (o costumeiro percentual de adeptos do partido-seita petista) consideram o governo da Presidenta ótimo ou bom. A rejeição a Dilma é cristalina e cristalizada. Dilma já era...”
      1939693_636745026361234_1916424289_n“O que não se compreende é como a mesma pesquisa, feita com apenas 2002 pessoas, em apenas 142 dos cinco mil seiscentos e tantos municípios brasileiros, consegue o milagre de apontar que a impopular Dilma tem 39% das intenções de voto para outubro. Aécio Neves só teria 21% e Eduardo Campos, 10%. No segundo turno, Dilma ganharia de Aécio (43% a 30%) e venceria Eduardo (43% a 27%). Na pesquisa espontânea, Dilma fica com 25%; Aécio com 11% e Eduardo Campos, com 4%”.

     Realmente, o índice de aprovação do governo da Dilma (31%) não combina com o das intenções de voto (39%). Mas isso tem sua lógica, porque as duas perguntas suscitam respostas diferentes.
     Quando indagam da qualidade do governo, os entrevistados pensam numa escala linear de valores referentes a um só tópico. Nessa escala, somente 31% aprovam Dilma.
     Mas quando indagam das intenções de voto, os entrevistados se deparam com várias opções comparativas. Nesse caso, Dilma leva vantagem porque ainda é mais conhecida do eleitorado.

     Os demais candidatos são menos conhecidos, ou até desconhecidos. Na dúvida, alguns entrevistados preferem ficar com o que conhecem, ou seja, com Dilma. Daí o fato de 39% dizerem que votarão nela, apesar de apenas 31% aprovarem seu governo.
     Dizem os analistas que, nessa fase da campanha, a vantagem de intenção de voto só seria estável se a opinião sobre seu governo também fosse ao redor de 39%.
     A disparidade dos dois indicadores sinaliza que, à medida que a campanha prosseguir e os demais candidatos forem melhor conhecidos, a intenção de voto em Dilma tenderá a cair para 31% ou menos, acompanhando o julgamento cada vez mais negativo de seu governo.
     Ou seja: para efeitos práticos, Dilma, neste momento, tem apenas 31% das intenções de voto.
              AC Portinari Greggio é Especialista em Assuntos Estratégicos.

This work is licensed under a Creative Commons license.

A Vampirologia ― não ria ― acaba de perder um expoente.

Morreu no sul da França o historiador romeno Radu Florescu, 88 anos, professor emérito do Boston College, nos EUA, e responsável por revelar a ligação entre o conde Drácula, personagem criado pelo escritor inglês Bram Stoker em 1897, e um monarca do século 15, o príncipe Vlad Tepeş [pronuncia-se te-pesh], que dominou a região da Valáquia, entre o Danúbio e os Cárpatos, perto da Transilvânia, na atual Romênia.

     Em parceria com seu colega de cátedra, o americano Raymond T. McNelly, Florescu foi autor, em 1972, do livro “Em Busca de Drácula”, grande sucesso de vendas e que tornou Vlad quase tão famoso quanto o próprio conde. Um dos motivos era o fato de que, em seu apogeu, o príncipe mandou empalar cerca de 100 mil otomanos, quase  devastando as matas da região com sua política de obrigar os inimigos a sentar-se sobre estacas pontiagudas.

     O fato de Vlad gostar de sangue e ser também conhecido como Dracul * ― dragão ou, na intimidade, o diabo ― foi suficiente para que Florescu e McNally explorassem a crença daquela região em vampiros e fizessem a conexão. Na verdade, não há uma linha no livro que prove essa identidade. O que há é uma argumentação que finge que se leva a sério, dá voltas em torno do assunto e sugere muito mais do que afirma. Infalível para convencer quem quer se deixar convencer.

     Até então, Florescu era um homem austero, especialista em Leste europeu e autor de livros sérios, um deles sobre as relações diplomáticas anglo-turcas. O estouro de em “Em Busca de Drácul” mudou sua vida. De repente ― e até o fim ―, ele passou a viver de palestras muito bem pagas em universidades, às quais comparecia usando uma capa de vampiro.

     A história ― como bem sabem os historiadores ― já foi uma ciência mais rigorosa.

· Dracul [não obstante sua origem latina, o romeno ― como acontece como as línguas escandinavas. norueguês, sueco e dinamarquês ― usa o artigo definido  no final do substantivo e junto com ele. Por exemplo, dracu em romeno significa dragão, mas o dragão – com o artigo definido -  é dracul.  Tempo é tempu, mas o tempo é tempul

Radu Florescu

Portrait of Radu Florescu.jpg

Nascimento: 23 October 1925
Bucharest, Romania

Morte: 18 May 2014
Mougins, France

Ocupação: Historian, Professor

Radu Florescu (23 de outubro de  1925 – 18 de maio de 2014) foi um acadêmico romeno que exerceu a posição de Professor Emérito de História no Boston College, onde ganhou reputação mundial por sua obra sobre Vlad Dracula, inclusive uma série de bestsellers cuja autoria ele compartilhou com seus colega Raymond T. McNally. Além de servir como Diretor do East European Research Center no Boston College, Florescu foi também um filantropo e assessor de Edward Kennedy sobre assuntos dos  Balkans e Leste Europeu. À época de sua morte, Radu Florescu foi considereado o patriarca da família  Florescu.

Vida

Fuga da Romênia

Florescu nasceu em Bucareste de uma família aristocrática, a mais antiga das famílias boyar romenas. Ele deixou a Romênia no início da II Segunda Guerra Mundial e se mudou para Londres, onde seu pai, um diplomata pró-Alliados que exercia o posto de embaixador da Romênia junto ao Reino Unido, desafiou uma ordem de se retirar do posto por parte do governo pró-Eixo de Ion Antonescu. Em protesto contra a nova aliança da Romênia com a Alemanha Nazista, o pai de Florescu renunciou ao posto e se juntou ao Comitê da Romênia Livre em oposição ao regime fascista de  Antonescu. Depois de deixar a escola, Florescu recebe uma bolsa para estudar  ciências históricas na faculdade Christ Church da Universidade de Oxford. Ele completou seus estudos na Indiana University-Bloomington, da qual ele obteve um Ph.D.

Ele recebera seus B.A. e M.A.da Christ Church, Oxford na Grã-Bretanha, antes de ir para os  Estados Unitdos , onde ele completou seu Ph.D. na Indiana University.

{Um boyar, ou bolyar (Búlgaro: боляр or болярин; Ukraniano: буй or боярин; Russo:боя́рин, tr. boyarin, IPA: [bɐˈjarʲɪn]; Romeno: boier, IPA: [boˈjer] (http://rpmedia.ask.com/ts?u=/wikipedia/commons/thumb/2/21/Speaker_Icon.svg/13px-Speaker_Icon.svg.png ); Grego: βογιάρος),era um membro da mais alta classe da Bulgária feudal, das aristocracias Moscovita,Kievan Rus'ian, Wallachiana e Moldaviana, apenas um degrau abaixo dos príncipesreinantes(na Bulgaria, tsars), do 10º até o  século 17º. Esta posição permaneceu como um sobrenome na Russia e Romênia,e também na Finlândia, onde é pronunciado Pajari.}

Boston Durante a Guerra Fria

Ele então começou uma carreira acadêmica como  professor de história noBoston College. Aí ele se encontrou com seu futuro colega, Professor Raymond T. McNally. No início da carreira de Florescu como professor nos anos 1960s, ele escreveu diversos livros sobre a história da Romênia tais como The Struggle Against Russia in the Romanian principalities, 1821-1854.

    Radu Florescu criou uma ponte diplomática entre os Estados Unidos e a Romênia. Serviu como assessor não somente para Edward Kennedy sobre assuntos dosBalkans, mas também para o setor de imprensa na White House durante a visita doPresidente Richard Nixon em 1969 à Romênia.

    Em, 1986, Florescu tornou-se Diretor do East European Research Center noBoston College e permaneceu naquela posição até à sua aposentadoria em 2008. Nessa função, ele organizou seminários sobre temas que variavam da difusão da Cultura Trácia na antiguidade ao surgimento do anti-Semitismo na Romênia no período entre-guerras.

Romênia Pós-Revolução

De 1996 a 2004, Florescu serviu como Consul Honorário no Estado de  New England pelo Ministério do Exterior Romeno, a primeira pessoa a ser nomeada para tal posição nos Estados Unidos. Seu primeiro trabalho como consul honorário foi acompanhar a votação pelos cidadãos romenos na área de Boston numa das primeiras eleições democráticas romenas desde a Revolução de 1989. Ele se tornouCônsul Honorário Emérito.

Por ocasião de sua morte, a Família  Real Romena emitiu um comunicado de condolências e de  reconhecimento da obra de Florescu.

Busca do Drácula

Em seu bestseller Em Busca do Drácula (1972), em co-autoria com Raymond T. McNally, ele dá a entender que o brutal Vlad III, voivod* do principado deWallachia, serviu de inspiração para o  Dracula de Bram Stoker. Vlad era um membro da Casa de Drăculești, e a novela de  Stoker teve lugar em locais reais tais como a Transilvania e o  Tihuta Pass, incluindo até mesmo corretamente as linhas férreas. Por este motivo, Florescu concluiu que o principal caráter deve ter sido também inspirado por fatos. Vlad Țepeș, conhecido pela matança de muitos  Saxõese Ottomanos, com uma inclinação para impalar seus inimigos em estacas, era a escolha lógica do modelo para o Drácula. O livro foi traduzido para 15 línguas e impulsionou a indústria do turismo romeno à medida que jovens ocidentais acorriam à Romênia atrás dos passos do histórico Drácula.

[*Voivod ― (Old Slavic, literally "warlord") é um título Eslavo que originalmente designava o comandante principal de uma força militar (warlord). A palavra veio gadualmente a designar o  governador de uma província).

    Florescu também escreveu a respeito de criações literárias como Frankensteincom o In Search of Frankenstein (1975) e o Pied Piper of Hamlin com o  In Search of the Pied Piper (2005). No primeiro, Florescu defendia a teoria de que o teólogo alemão, alquimista, anatomista e médico Johann Konrad Dippel serviu de inspiração para a novela Frankenstein de Mary Shelly.

Books

Florescu, Radu; (2005). In Search of the Pied Piper. Athena Press. ISBN 1-84401-339-1.

Florescu, Radu; McNally, Raymond T. (1994). In search of Dracula: the history of Dracula and vampires. Houghton Mifflin Co. ISBN 0-395-65783-0.

McNally, Raymond T.; Florescu, Radu (1992). The complete Dracula. Acton, Mass: Copley Pub. Group. ISBN 0-87411-595-7.

McNally, Raymond T.; Florescu, Radu (1989). Dracula, prince of many faces: his life and his times. Boston: Little, Brown. ISBN 0-316-28656-7.

In Search of Frankenstein: Exploring the Myths Behind Mary Shelley's Monster. Boston, MA: Little, Brown and Company. 1975; rev. 1996. ISBN 978-1-861-05033-5.

This work is licensed under a Creative Commons license.

domingo, 15 de junho de 2014

Sete disputam vaga de Barbosa no STF


Por Leandro Mazzini | Coluna Esplanada
Pelo menos sete nomes disputam com chances a vaga do ministro Joaquim Barbosa, que deixa o Supremo Tribunal Federal (STF): quatro são do Superior Tribunal de Justiça (STJ), um é professor da Universidade de São Paulo (USP) e outros dois ministros do governo Dilma.

Do STJ, Benedito Gonçalves, Herman Benjamin, Maria Thereza Assis de Moura e Luiz Felipe Salomão. Da USP, o professor e tributarista Heleno Torres; Do governo federal, além do Advogado Geral da União, Luís Adams – sempre citado, embora não mostre vontade – o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, mestre e doutor pela PUC-SP.

Na esteira das especulações se seguem apadrinhamentos de alguns. Negro como Barbosa, Benedito Gonçalves tem currículo extenso e diversificado. Nasceu no interior paulista, foi papiloscopista da Polícia Federal, delegado da Polícia Civil do DF, juiz federal e antes de ascender ao STJ era desembargador do TRF da 2ª Região.

Nos bastidores das togas no Supremo, há indicações de que, apesar de muito amigo do ex-presidente Lula, não deve ser o indicado pela presidente Dilma, porque neste sentido criaria uma ‘cota’ para a vaga.

O professor e jurista Heleno Torres é amigo e apadrinhado por Luís Inácio Adams – outro cotado. Conceituado no meio acadêmico, ficou ‘queimado’ com a presidente ao se sentir convidado após uma entrevista para outra vaga ano passado. Espalhou e se deu mal. (lembre aqui).

Especialista em Direito Econômico e egressa da vaga da OAB para o STJ, Maria Thereza é apadrinhada pelo ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos. Já outros dois colegas, Herman Benjamin e Salomão, não têm padrinhos específicos, mas conquistaram o apoio do Legislativo brasileiro.

Natural de Catolé do Rocha (PB), Benjamin cresceu na carreira de procurador do MP em São Paulo. Em Brasília, notabilizou-se por presidir a Comissão de Juristas, junto ao Congresso Nacional, para elaboração do novo Código de Defesa do Consumidor. Juiz estadual no Rio, Luiz Felipe Salomão não tem ligações partidárias ou padrinho político, mas conquistou bom trânsito entre os Poderes, em especial após presidir Comissão Especial do Senado para o tema “Soluções para Conciliação, Mediação e Arbitragem”.

MAIS DOIS

Se vencer a eleição, Dilma nomeará mais dois ministros. É que se aposentam neste ano e em 2015, respectivamente, Celso de Mello (em novembro) e Marco Aurélio Mello (em julho).

This work is licensed under a Creative Commons license.

terça-feira, 27 de maio de 2014

CONFIRA AS REGRAS DA FIFA PARA OS JOGOS DA COPA

Quem for assistir aos jogos da Copa do Mundo, que começa no dia 12 de junho, deve ficar atento a uma série de regras de conduta impostas pela Federação Internacional de Futebol (Fifa).

Mané Garrincha é aprovado em teste no último evento antes da Copa(Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Torcedor é revistado antes de entrar no Estádio Mané Garrincha, em Brasília Fabio Rodrigues Pozzebom/Arquivo Agência Brasil

Antes de entrar nos estádios, o torcedor vai passar por uma revista, para impedir a entrada de armas, garrafas, copos, jarras, latas ou caixas térmicas. Comida e bebida de qualquer tipo só podem ser compradas dentro do estádio e não será permitido fumar em todas as áreas. A série de regras de conduta da Fifa para o torcedor da Copa pode ser consultada na internet.

De acordo com a Fifa, o torcedor só entrará no estádio com ingressos adquiridos por meio de canais oficiais. Qualquer ingresso obtido por outro meio, com cambistas ou por leilões de internet, por exemplo, será automaticamente considerado nulo e inválido.

Além do ingresso serão cobrados, se solicitados, documentos de identidade, carteirinha de estudante e atestado médico – no caso de pessoas com deficiência, para comprovar o direito ao benefício. O ingresso deve ter sido emitido no nome da pessoa que vai assistir ao jogo.

Também é proibido levar materiais que apoiem causas racistas ou xenófobas, cartazes ou bandeiras maiores do que 2 metros por 1,5 metro, latas de spray de gás, substâncias corrosivas, inflamáveis, tintas, escadas, bancos ou cadeiras dobráveis. O torcedor também não poderá entrar nas arenas com  fogos de artifício, sinalizadores, bombas, megafones.

Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha (Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

Estádio Nacional Mané Garrincha Marcello CasalJr./Arquivo Agência Brasil

Nas arenas, será proibida a entrada com qualquer instrumento que produza volume excessivo, tais como megafones, sirenes, vuvuzelas e, inclusive, a caxirola –  apresentada pelo músico baiano Carlinhos Brown como uma espécie de “vuvuzela” brasileira e que contou com o apoio do governo federal.

Também é proibida a entrada com sacolas grandes, mochilas, malas e bolsas esportivas. Grandes quantidades de papel e de pó, como farinha e substâncias similares, também estão na mira da Fifa.

A federação recomenda que os torcedores fiquem atentos ao assento indicado no ingresso, pois não poderão trocar de lugar, nem ficar de pé nas cadeiras. Não serão tolerados xingamentos racistas, xenofóbicos ou que estimulem qualquer tipo de discriminação. Promover mensagem política, ideológica ou de qualquer causa de caridade também é proibido.

Ana Cristina Campos - Repórter da Agência Brasil

This work is licensed under a Creative Commons license.

domingo, 18 de maio de 2014

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Ouro Preto não tem teatro, mas tem “atores” dignos de Hollywood no executivo municipal

Mal assentou-se de volta a cadeira do executivo, após ficar afastado por exatos 69 dias, tendo se licenciado por razões pessoais, o prefeito de Ouro Preto do Oeste, Alex Testoni (PSD), retornou ao cargo envolto a uma meia dúzias de novos requerimentos que agitaram a mesa de prootocolos do Ministério Público do município, coincidindo com sua retomada ao cargo.

Informações precisas, dão conta inclusive de que uma “vigília” de boas vindas teria sido montada à frente da prefeitura, para acompanhar de perto a movimentada reaparição do prefeito e seus assessores mais fiéis.

Para prefeita interina que saiu, Joselita Araújo (PMDB), muito pouco restou para realizar durante estes últimos 60 dias de inércia à frente do cargo, a mesma ficou totalmente inviabilizada de todas as formas por diversos setores da administração m unicipal, que não permitiam que a mesma mocesse uma palha em favor de seu mandato provisório.

Impedida de atuar de forma eficiente, informações internas de funcionários, relatam que o setor de obras e pavimentação foi o que mais ficou engessado, por ordem direta do prefeito, tendo também setores fundamentais como a educação, saúde e segurança suas manutenções altamente comprometidas, registrando um aumento do índice de arrombamentos a residências e assaltos a população em torno de toda região.

Para justificar a sua volta, o prefeito promoveu um verdadeiro espetáculo de populismo protagonizado nas dependências da Câmara Municipal, um dia após o incontrooverso arquivamento de uma denúncia levantada pelo vereador petista Dr. Deraldo, em que pedia a abertura de uma CPI contra o prefeito.

Na sessão de votação, apenas 3 dos 9 vereadores apoiaram a sustenção da abertura da CPI, entre eles seu autor, que foram atropelados pelos seus pares que nem sequer discutiram a propoositura.

Já no dia da retomada, também na Câmara municipal, um pequena multidão de pessoas que nunca se viu nas sessões ordinárias, algumas pertencentes ao quadro de funcionários das empresas da família do prefeito e outra metade de funcionários comissionados na prefeitura, compareceram com faixas, palmas e gritos de apoio que se fossem mais ensaiados seriam imediatamente convidados a participar do Domingão do Faustão com cachê garantido por uma temporada.

Para cada 10 palavras pronunciadas uma salva de palmas era oferecida, a quem chegasse ao “evento” e fosse de fora da cidade pensaria com certeza que algum episódio da novela “O Bem Amado” estava sendo gravada naquele recinto, até mesmo o personagem principal, mereceu ter seus 15 minutos de fama reconhecidos pela Academia em detrimento de um Oscar de melhor ator.

Com ameaças constantes de desandar o discurso e desaguar em choro, o “Odorico Paraguassú” de Ouro Preto do Oeste, pedia a todo instânte que o povo lhe poupasse de tanta emoção, tendo até mesmo se utilizado de um versículo bíblico para alfinetar seus adversários que, segundo ele, são “forças do mal” que perseguem a ele e sua família em sua luta incessante pela salvação messianica de sua cidade a quem o próprio Deus lhe encomendou. Dorme com essa…

quinta-feira, 1 de maio de 2014

Momentos decisivos para a revelação do maior escândalo político e econômico que "nunca houve antes na história desde país"

Recebi esta informação de um advogado de minha extrema confiança, o qual tem profunda relação com setores investigatórios do governo federal.

Qualquer semelhança com as denuncias apresentadas todos os dias na internet não são mera coincidência, sabe-se que tão logo o PT perca o governo uma grande força tarefa deverá apresentar tais provas como forma de confirmar aquilo que milhares de membros do judiciário e das hostes policiais já sabem, mas, tem medo de sofrerem perseguição e penalizações sumárias.

PF ameaça investigar patrimônio de US$ 4,77 bilhões de pessoa muito próxima a Lula da Silva

Uma das cinco “tendências” na Polícia Federal é armar uma desagradável surpresa para uma pessoa muito próxima do ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva nos próximos meses. A equipe de um delegado pertencente a uma banda anti-governista da PF, com atuação consistente em combate à corrupção e lavagem de dinheiro, ameaça abrir um procedimento investigatório, que pode ocorrer até mesmo antes do final do ano, encerrada as apurações das urnas, para acompanhar suspeitas de crimes na evolução patrimonial incompatível com a renda declarada à Receita Federal pelo personagem ligadíssimo a Lula. A fortuna familiar do investigável é estimada em US$ 4 bilhões 770 milhões de dólares.
Lesão Capital
O patrimônio é impressionante - Usando “laranjas” (familiares, amigos pessoais e empresários parceiros), o alvo da PF é, ocultamente, um dos maiores pecuaristas do Brasil. Em três fazendas – em São José do Rio Preto e Botucatu (SP) e no Mato Grosso, em sociedade com um famoso cantor romântico) , o investigável cuida de 4 milhões e 800 mil cabeças de gado. Também ostenta dois jatos (cada um avaliado em US$ 8 milhões). As aeronaves operaram em nome de empreiteiras amigas, para chamar menos a atenção, como se isso fosse possível, pelas tantas viagens que faz pelo Brasil e para paraísos fiscais, principalmente o Panamá.
O próspero negociante, em que a PF está de olho, tem participações em seis grandes hotéis (três no Distrito Federal, dois em Recife e um resort na Bahia). O agora alvo da PF – e provavelmente da Receita e da Justiça Federal – fez muitos investimentos em imóveis, o que chama a atenção e acaba facilmente rastreado. Tem um prédio avaliado em US$ 12 milhões e um terreno gigantesco, em áreas valorizadas na Zona Sul de São Paulo. Empenhou muita grana na construção de lucrativos mini-shoppings, onde fatura alto com aluguéis. Também injetou dinheiro em uma incorporadora e numa empreiteira que atua na região do Grande ABC.
Em tempos de problemas na Petrobras, chama atenção que o investigável seja detentos de lotes de 650 mil ações preferenciais da estatal de economia mista – em baixa no mercado. Além de muitas ações da Vale e Usiminas, o investidor também tem 10% de participação em uma grande companhia aérea e 20% de uma poderosa empresa de telecomunicações. Também tem ações de um grande grupo universitário em São Paulo, e uma lucrativa participação na Ambev. Em função da criação bovina, é acionista minoritário de vários frigoríficos.
O empreendedor pródigo, conseguiu uma representação para negociar jatos da Embraer na França, no Canadá e nos EUA. Além das aplicações na hotelaria nacional, junto com outro brasileiro, controla um hotel na França. Para facilitar os negócios, tem um apartamento em seu nome em Paris, a partir de onde opera suas contas correntes na Europa. O empresário brasileiro transita facilmente pela Itália, onde tem cidadania. Em sociedade com os Irmãos Castro, recebe dividendos, em dólares, de hotéis em Cuba. Sempre que pode, viaja para lá junto com Lula.
No rastro da Operação "Lava Jato", o estouro deste escândalo, caso realmente se confirme, tende a superar, em impacto político negativo para o PT, o Mensalão (que rendeu condenações para apenas 24 dos 40 denunciados, sendo 13 milagrosamente absolvidos, poupando, principalmente, Lula da Silva). Também deve causar mais estrago que outras broncas que também chegaram próximas, mas ainda não afetaram Lula, como a Operação "Porto Seguro" – que rende um processo, que corre em estranho sigilo, contra a ex-chefe do gabinete da Presidência da República em São Paulo, Rosemary Nóvoa Noronha, amiga a apadrinhada e ex-assessora de confiança do ex-Presidente.
As cúpulas do PSDB e DEM sabem de quem é o alvo da provável investigação que vai abalar o corrupto modelo "Capito-comunista" da República Sindicalista do Brasil. A eleição presidencial deste ano promete ser um abatedouro de políticos – principalmente do lado governista da pocilga. Existem dossiês em profusão para alimentar a guerra suja pela sucessão de Dilma Rousseff. A ordem, dos investidores de fora, que gastaram centenas de milhares de dólares em espionagem, é destronar o PT do Palácio do Planalto.
No marketing policial, a ação programada para ser deflagrada a qualquer momento pode ser batizada de “Operação Famíglia” – numa alusão direta a como a máfia italiana costuma ser conhecida, além do termo “Cosa Nostra”. Grandes lobistas de Brasília já comentavam, na noite de ontem, do alto risco político desta operação. 
O Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, comandado pelo General de Exército José Elito, já sabe deste risco explosivo. A Presidenta Dilma e o "Presidentro" Lula, meio brigados por causa das confusões na Petrobras, também sabem do perigo à vista. A petralhada está mais aloprada que nunca.

domingo, 20 de abril de 2014

Um Rondoniense com R maiúsculo no SPORTV

O Jornalista de Rondônia, Santiago Roa, está a poucos passos de ir para a fase final do concurso projeto “Talentos da Narração”, lançado pelo  Sportv, que está à procura de novos narradores com vistas às Olimpíadas e Copa do Mundo.  


Se inscreveram mandando  vídeo   11.513 candidatos. 5.475 passaram na fase on line. 3.232 candidatos da Região Norte fizeram em Manaus a fase de dinâmica de Grupo e apresentação de vídeo storytelling.  

O vídeo gravado por Santiago, com duração de quatro minutos exatos, tem o dream tean de sua vida , humor, momentos marcantes bons e ruins. 

No fim de abril sai o resultado para saber quem está na fase final a partir do dia cinco de maio. Assista ao vídeo clicando aqui.  Curta ele e ajude nosso amigo a chegar lá. 

Absurdo: vereadores de Vilhena aprovam lei que vale para município gaúcho

Erros no projeto enviado pelo prefeito José Rover levantam suspeitas na peça copiada de outro município.



Os vereadores de Vilhena foram capazes de uma façanha curiosa em dezembro do ano passado, quando aprovaram uma lei enviada pelo prefeito Zé Rover (PP) estabelecendo diretrizes para a política de saneamento básico na cidade. 
Ao analisar o projeto, extenso tanto na complexidade dos termos técnicos quanto no número de artigos, os parlamentares precisaram de apenas um dia para analisar todo o material. A proposta entrou na Casa no dia 09 de dezembro e, no dia seguinte, estava devidamente aprovada e sancionada a toque de caixa por Rover.
 
Tanta celeridade, incomum em comparação com outras matérias que chegam ao Legislativo, acabaram por revelar que na verdade ninguém leu nada do que estava escrito. Só mesmo isso para explicar tantos erros no texto. No inciso II do artigo 28, por exemplo, nenhum vereador ou assessor do prefeito notou que a legislação prevê que a regulação do serviço de saneamento básico “poderá ser delegada a qualquer entidade, desde que constituída no ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL”.
 
Em outro trecho da lei, o inciso II do artigo 31, estabelece que o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) de Vilhena, poderá participar, opinar e deliberar sobre limpeza urbana e resíduos sólidos NO MUNICÍPIO DE ESTRELA, que também fica no Rio Grande do Sul.
No final da matéria, para deixar claro que todo o projeto foi copiado do município gaúcho, o texto fala que a cidade poderá “articular-se com MUNICÍPIOS DA REGIÃO METROPOLITANA, coisa que simplesmente não existe no Cone Sul de Rondônia.
 
Os erros podem até serem formais e passíveis de correção, mas a pressa na discussão da lei, que entre outras coisas passa à iniciativa privada o processamento do lixo coletado na cidade, levanta muitas suspeitas. Detalhe: a assessoria jurídica da Câmara não se manifestou quanto aos equívocos absurdos cometidos, porque o responsável pela Pasta, advogado Edélcio Vieira, sequer foi consultado sobre o caso.
 
O projeto no qual foram cometidas as barbaridades descritas nesta reportagem é o de número 3.799 e está publicado no Diário Oficial do Município quem data de circulação 09 de janeiro de 2014. A Lei, no entanto, é do dia 10 de janeiro do mesmo ano. Outra mancada, que revela os dons mediúnicos de quem edita o informativo.

Fonte: FS

terça-feira, 8 de abril de 2014

TV BBOM - Ednaldo Bispo e João Francisco - 08/04/2014

PRESIDENTE DA BBOM APRESENTA PROVAS DE CONSPIRAÇÃO INDUSTRIAL QUE QUE FOI USADA PARA TENTAR SABOTAR O PROJETO E BLOQUEAR A EMPRESA PREJUDICANDO MILHÕES DE PESSOAS EM TODO PAÍS.

domingo, 6 de abril de 2014

EDNALDO BISPO ENTREVISTADO PELA GAZETA DE RONDÔNIA





02/04/14 | EDNALDO BISPO, VICE PRESIDENTE DA BBOM, CONCEDE ENTREVISTA À GAZETA DE RONDÔNIA APÓS EVENTO EM PORTO VELHO/RO, QUE MARCOU O "RESTART" DA EMPRESA NO MERCADO DE VENDAS DIRETAS E MICRO-FRANQUIAS:

PUBLICIDADE

ESTOU EM PAZ, E VOCÊ ?

Um Diploma ou um Sacerdócio?

Que respostas podemos dar à indagação sobre os motivos de se exigir que o profissional de Jornalismo seja formado por uma faculdade?

Digamos, desde logo, que a faculdade não vai "fazer" um jornalista. Ela não lhe dá técnica se não houver aptidão, que denominamos de vocação.

A questão é mais séria e mais conseqüente. A faculdade, além das técnicas de trabalho, permite ao aluno a experiência de uma reflexão teórica e, principalmente, ética.

Não achamos absurdo que um médico deva fazer uma faculdade. É que vamos a ele entregar o nosso corpo, se necessário, para que ele corte, interfira dentro de seu funcionamento, etc.

Contudo, por vezes discutimos se existe necessidade de faculdade para a formação do jornalista, e nos esquecemos que ele faz uma intervenção muito mais radical sobre a comunidade, porque ele interfere, com seus artigos, suas informações e suas opiniões, diretamente dentro de nosso cérebro.

Acho que, pelo aspecto de cotidianidade que assumiu o Jornalismo, a maioria das pessoas esquece que o Jornalismo não é uma prática natural.

O Jornalismo é uma prática cultural, que não reflete a realidade, mas cria realidades, as chamadas representações sociais que interferem diretamente na formulação de nossas imagens sobre a realidade, em nossos valores, em nossos costumes e nossos hábitos, em nossa maneira de ver o mundo e de nos relacionar com os demais.

A função do Jornalismo, assim, é, socialmente, uma função extremamente importante e, dada a sua cotidianidade, até mais importante que a da medicina, pois, se não estamos doentes, em geral não temos necessidade de um médico, mas nossa necessidade de Jornalismo é constante, faz parte de nossas ações mais simples e, ao mesmo tempo mais decisivas, precisamos conhecer o que pensam e fazem nossos governantes, para podermos decidir sobre as atividades de nossa empresa; ou devemos buscar no Jornalismo a informação a respeito do comportamento do tempo, nas próximas horas, para decidirmos como sair de casa, quando plantar, ou se manter determinada programação festiva.

Buscamos o Jornalismo para consultar sobre uma sessão de cinema, sobre farmácias abertas em um feriadão, mas também para conhecermos a opinião de determinadas lideranças públicas a respeito de determinado tema, etc.

Tudo isso envolve a tecnologia e a técnica, o nível das aptidões, capacidades e domínio de rotinas de produção de um resultado final, que é a notícia.

Mas há coisas mais importantes: um bom jornalista precisa ter uma ampla visão de mundo, um conjunto imenso de informações, uma determinada sensibilidade para os acontecimentos e, sobretudo, o sentimento de responsabilidade diante da tarefa que realiza, diretamente dirigida aos outros, mais do que a si mesmo.

Quando discuto com meus colegas a respeito da responsabilidade que eu, como profissional tenho, com minha formação, resumo tudo dizendo: não quero depender de um colega de profissão, "transformado" em "jornalista profissional", que eventualmente eu não tenha preparado corretamente para a sua função.

A faculdade nos ajuda, justamente, a capacitar o profissional quanto às conseqüências de suas ações.

Mais que isso, dá ao jornalista, a responsabilidade de sua profissionalização, o que o leva a melhor compreender o sentido da tarefa social que realiza e, por isso mesmo, desenvolver não apenas um espírito de corpo, traduzido na associação, genericamente falando, e na sindicalização, mais especificamente, mas um sentimento de co-participação social, tarefa política (não partidária) das mais significativas.

Faça-se uma pergunta aos juízes do STF a quem compete agora julgar a questão, mais uma vez, questão que não deveria nem mais estar em discussão: eles gostariam, de ser mal informados?

Eles gostariam de não ter acesso a um conjunto de informações que, muitas vezes, são por eles buscadas até mesmo para bem decidirem sobre uma causa que lhes é apresentada através dos autos de um processo?

E eles gostariam de consultar uma fonte, sempre desconfiando dela?

Porque a responsabilidade do jornalista reside neste tensionamento que caracteriza o Jornalismo contemporâneo de nossa sociedade capitalista: transformada em objeto de consumo, traduzido enquanto um produto que é vendido, comercializado e industrializado, a notícia está muito mais dependente da responsabilidade do profissional da informação, que é o jornalista, do que da própria empresa jornalística que tem, nela, a necessidade do lucro.

Assim sendo, é da consciência aprofundada e conscientizada do jornalista quanto a seu trabalho, que depende a boa informação.

E tal posicionamento só se adquire nos bancos escolares, no debate aberto, no confronto de idéias, no debate sério e conseqüente que se desenvolve na faculdade.

Eis, em rápidos traços, alguns dos motivos pelos quais é fundamental que se continue a exigir a formação acadêmica para o jornalista profissional.

A academia não vai fazer um jornalista, mas vai, certamente, diminuir significativamente, a existência de maus profissionais que transformam a informação, traduzida na notícia, em simples mercadoria.

Danny Bueno
Ocorreu um erro neste gadget

______________ ÚLTIMOS VÍDEOS :

Loading...

_______________Arquivo vivo: